Calladita você está mais bonita. Com esta frase, explica Claudia Calvin, no México incitam as mulheres a continuar com a boca fechada e que não expressem sua avaliação. Por acaso, mulheres como Calvin acreditam e lutam pra que a mulher acredita e tenha o ambiente que lhe corresponde pela sociedade.

Portanto, em 2009, construiu a “Mulheres Construindo” uma plataforma em que as mulheres de fala hispânica têm seus próprios web sites, onde dão rédea solta a tuas frases. Na atualidade tem em torno de 3.000 web sites de mulheres não apenas do México, porém assim como de todos os países da américa Latina, Espanha e latinas que vivem nos EUA. Calvino explica que a graça desta plataforma é que se “cria um espaço horizontal de diálogo entre as bloggeras”, em que participam a partir de uma avó de 85 anos, uma dona de casa até políticas ou empresárias.

“O que a todos nos une é ser uma mulher, ter algo a discursar e ambicionar superar a brecha digital”. Pra Calvino, o principal dificuldade que as mulheres têm bloggeras no México é que não as tomar a sério. “Por um lado por causa de vêem as bloggeras como pijas”, ressaltou Calvin numa entrevista com o Goldman Sachs is not an aftershave. Por outro, expôs que as autoridades não tomam este trabalho sério.

por este significado, Calvin descreveu que, quando começou com esse projeto, em 2007-2008, a Secretaria de Economia argumentou que não iria financiar o teu hobby. Ao desfecho, o projeto descreveu o financiamento de um investidor britânico e com o suporte de Silicon Valley.

  • Dois Museu Jacinto Jijón e Caamaño
  • Kansas City Film Critics Awards 2006[86]
  • Nacional = Tarifa + elementos x Coeficiente de cautela
  • 10 Anos de 1990

“No México não localizei apoio, até agora, que a comunidade cresceu e tem marca. Aí sim, o mundo inteiro quer entrar”, lamentou. Outro dos defeitos com os quais se descobrem as bloggeras, frisou, é que as organizações não querem pagar muito dinheiro por este trabalho.

“O tema é dignificar o serviço das bloggeras, que é muito trabalho, em que as mulheres dedicam tempo, dinheiro e vigor”, ressaltou. “Nada te serve dividir as mulheres em Costa Rica e Equador, como por exemplo, um Ipad ou um tablet.