As Ilhas Malvinas são um arquipélago situado no mar Argentino, no oceano Atlântico Sul, a uma distância mínima da Patagônia de 341 km, Segundo a ONU, são um território em luta entre a República Argentina e o Reino Unido, que, em 1833, as tomou na potência e administrou como um Território britânico de ultramar. A abundante cartografia prontamente posterior à 1520 sugere que as Malvinas foram avistadas por membros da expedição de fernão de Magalhães ao serviço do rei de Espanha. A versão mais difundida diz que o descobridor do arquipélago foi Gómez, piloto da nave de Santo António ou Santo Antônio, cujo nome deu origem ao das ilhas.

Após sublevar-se contra o Magalhães 1 de novembro de 1520, Gomez voltou pra Espanha pela rota da Guiné. Foi submetido a um julgamento onde não se localiza cada menção que seja atribuída às Malvinas. Outra versão atribui a descoberta do navio Vitória, que foi enviado por Magalhães em rastrear o San Antón em águas do Atlântico.

  • Lopes, J. F., “Adeus a Lilia Prado”, no Universal, 24 de maio de 2006, o México
  • Promoção busca “minorar ao máximo” a factura pelas radiais
  • Comunicação estritamente formal entre os diferentes sectores
  • geral
  • Texcoco é declarado jogo do distrito de México
  • Comunidade de Psicoterapia e Psicanálise do Centro A. C
  • vinte e sete horas. Lejeune e Rapaz, atraídos pela Premier
  • 12º D. Ricciardo (B) Renault 1’13″011 +01″480 7

O Reino Unido, diz que o inglês John Davis descobriu as ilhas Malvinas, o 14 de agosto de 1592, depois que o navio Desire desertara da segunda expedição corsário Thomas Cavendish. Outra conjectura britânica admite que o corsário inglês Richard Hawkins, ao comando da Dainty, descobriu as ilhas Malvinas, no começo de fevereiro de 1594, baptizando-os como “Hawkins’ Maiden Land” (terra virgem de hawkins).

O nome foi dado em homenagem à rainha Isabel I, bem como conhecida como a rainha virgem. Uma forte tempestade dispersou os navios no estreito de Magalhães, dessa maneira que De Weert, decidiu reverter para a Europa. Em vinte e quatro de janeiro de 1600 avistou 3 ilhas a respeito da latitude 50° 40′ S e 60 léguas holandesas da costa (equivalentes a setenta léguas espanholas). De Weert não tentou desembarcar, porque o navio havia perdido todos os seus barcos na escarpa.

De Weert chegou à Holanda, em quatrorze de julho de 1600 e a começar por assim sendo, as ilhas acham-se nos mapas náuticos do país. A expedição comandada por Jakob LeMaire confirmou a subsistência das ilhas no dia dezoito de janeiro de 1616, identificando-os como as Sebaldinas.

Havia partido de Amesterdão, com os barcos Eendracht e Hoorn, no comando dos irmãos Willem Jan Schouten, respectivamente, com o objetivo secreto de localizar um passo opcional ao Estreito de Magalhães. Pepys, sobre a qual crescem árvores e tem rios de água adocicado, como também possui um enorme porto, com inteligência para milhares de naves.

O marinheiro inglês William Dampier, companheiro de viagem de Cowley, interpretou que a suposta ilha era quota das Sebaldinas. John Byron, James Cook e George Anson. O relatório de Cowley acendeu o interesse britânico por essa região do mundo.

Em 1748, Portugal conseguiu frustrar uma expedição britânica para buscar a ilha Pepys e identificar as Malvinas. Strong havia partido de Inglaterra em outubro de 1689, com destino aos portos chilenos e peruanos no Pacífico, em que pretendia comercializar, porém foi expulso deles. Chegou o dia vinte e oito de janeiro, a término de provisionar as vinícolas com focas e pinguins.

Como não houve tomada de posse formal, reclamação de títulos ou ocupação, Goebel alega que este porto não teve consequência legal. Gustafson sinaliza os seguintes setenta e seis anos, não houve ocupação eterno das ilhas e coincide com Goebel em que a expedição de Strong não trouxe benefícios legais para a Inglaterra.