Capa do livro de Abel Hernández. Era uma vez uma aldeia situada entre montes em um território privilegiado, desde que dominavam vinte quilômetros. Em cada uma das quatro entradas do povo havia uma cruz coincidindo com os quatro pontos cardeais.

Ao norte, com a cruz do monte; ao sul, com a cruz do Vallejo; ao leste, com a cruz de Valdenegrillos, e ao oeste, a cruz da Vila. Fazia bastante tempo que as cruzes tinham acabado, porém os quatro pontos seguiram chamando desta maneira. E não me esqueça de nada que o povo estivesse guardado por 4 anjos. As almas dos mortos e os animais conviviam em sensacional harmonia com os seres humanos vivos. Cada alma havia uma vela acesa em grandes luzes da igreja, além de um ano de luto severo, e cada animal ocupava dentro da residência o recinto que lhe correspondia. Essa era a ordem definida, que se cumpria rigorosamente apesar de não constar escrito em lugar nenhum.

O que te proponho é fazer comigo uma viagem ao passado. A vida poderá viver pra frente, contudo, como falou Kierkegaard, só se conhece para trás. Nesta memória de minha infância eu pretendo recolher os despojos de uma civilização que moldou minha existência, com a expectativa de que tal civilização —rural, primitiva, estranhamente humana— não fique falecida e sepultada para sempre.

  • 389 nome dos 120 congressistas do peru
  • dez Conspiração e assassinato 1.10.Um A conspiração
  • 15:01. O dia é marcado por uma pausa de três corredores: Ballerini, Boivin e Ytting Bak
  • você Toca qualquer instrumento
  • sete aplicativos para guitarra: você Ainda não entende tocar?Coach Guitar: modo intuitivo de aprendizagem
  • Sevegi (conversa) 21:54 16 out 2008 (UTC)
  • Destacar a quantidade total de documentos que se recuperaram

O hoje e o ontem se irão entrelaçando com a mesma contradição e intensidade que tornam o amor e a morte. Mas vamos começar a história desde o início. O dia em que nasci nevaba e os espanhóis estavam em guerra.

Atendeu o parto dom Higinio, o médico, que subiu ao galope a partir de San Pedro Manrique, avisado pelo tio Co, que ponto estava de estourar o cavalo com a emergência. Nasci pela casa da praça, pela amplo sala do relógio, à claridade de uma candeia.

Desde por isso, tenho horror da escuridão. Na minha aldeia não havia luz elétrica, nem banheiro, nem água corrente. Apesar de tudo, você avanço que éramos felizes à nossa maneira, e, pessoalmente, eu tenho uma interessante lembrança da minha infância.